Cientistas usam Inteligência Artificial para prever a leptospirose em cães

Veterinários e pesquisadores da Universidade da Califórnia, EUA, descobriram uma técnica para prever a leptospirose em cães por meio do uso de Inteligência Artificial. Após muitos meses testando vários modelos, a equipe desenvolveu um que superou os métodos tradicionais de teste e forneceu uma detecção precoce precisa da doença. 

Essa descoberta inovadora foi publicada na edição de sábado (21) do Journal of Veterinary Diagnostic Investigation.

A leptospirose, doença que os cães podem obter ao beberem água contaminada com bactérias leptospira, pode causar insuficiência renal, doença hepática e sangramento severo nos pulmões. A detecção precoce da doença é crucial e pode significar a diferença entre a vida e a morte.

Ao beber água contaminada por bactérias leptospira, os cães podem pegar leptospirose. Imagem: ROMAN DZIUBALO – Shutterstock

Mais de 400 exames de sangue treinaram a Inteligência Artificial do modelo

“Os testes tradicionais para Leptospira carecem de sensibilidade no início do processo da doença”, disse a autora principal Krystle Reagan, especialista em medicina interna certificada pelo conselho e professora assistente com foco em doenças infecciosas. “A detecção também pode levar mais de duas semanas devido à necessidade de demonstrar um aumento no nível de anticorpos em uma amostra de sangue. Nosso modelo de IA elimina esses dois bloqueios de estrada para um diagnóstico rápido e preciso”.

De acordo com o site Phys, a pesquisa envolveu dados históricos de pacientes do Hospital Veterinário de Medicina da universidade que haviam sido testados para leptospirose. Os exames de sangue coletados rotineiramente desses 413 cães foram usados para treinar um modelo de previsão de IA. 

Inteligência Artificial foi treinada com mais de 400 exames de sangue e obteve êxito em todos os resultados positivos que detectou em cães no dia seguinte. Imagem: Constantine Pankin – Shutterstock

No ano seguinte, o hospital tratou mais 53 cães com suspeita de leptospirose. O modelo identificou corretamente todos os nove cães positivos para a doença, comprovando que o modelo tem 100% de sensibilidade. O modelo também identificou corretamente aproximadamente 90% dos 44 cães que, em última análise, foram negativados.

O objetivo dos cientistas é que esse modelo se torne um recurso online para os veterinários inserirem os dados dos pacientes e receberem uma previsão oportuna. “A tomada de decisões clínicas baseadas em IA será o futuro para muitos aspectos da medicina veterinária”, disse o reitor da Escola de Medicina Veterinária da UC Mark Stetter. “Estamos comprometidos em colocar recursos por trás de empreendimentos de IA e estamos ansiosos para fazer parcerias com pesquisadores, filantropos e indústria para avançar nessa ciência”.

Leia mais:

IA pode identificar a etnia das pessoas em imagens de raios-X e levanta questões éticasESA financia projetos de Inteligência Artificial para aprimoramento de satélitesAlzheimer: inteligência artificial pode diagnosticar doença

Equipe espera que seu modelo de detecção possa ajudar também pessoas

A leptospirose é uma doença zoonótica que ameaça a vida, o que significa que pode ser transferida de animais para humanos. Como a doença também é difícil de diagnosticar nas pessoas, Krystle espera que a tecnologia por trás desse modelo inovador de detecção tenha capacidade translacional na medicina humana.

“Minha esperança é que essa tecnologia seja capaz de reconhecer casos de leptospirose em tempo real, dando aos médicos e pacientes informações importantes sobre o processo e prognóstico da doença”, disse ela. “À medida que avançamos, esperamos aplicar métodos de IA para melhorar nossa capacidade de diagnosticar rapidamente outros tipos de infecções”.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

O post Cientistas usam Inteligência Artificial para prever a leptospirose em cães apareceu primeiro em Olhar Digital.

Deixe um comentário