Mancha solar sofre uma das mais poderosas erupções e provoca apagão em sinais de rádio na Terra

Uma das mais potentes tempestades do atual ciclo climático do Sol atingiu seu pico nesta quarta-feira (30), às 14h37 (pelo horário de Brasília), levando a uma erupção solar de classe X1.3, um dos tipos mais poderosos que existem. Conforme noticiado pelo Olhar Digital, a mancha solar AR2975 vem explodindo fortemente desde segunda-feira (28), ejetando partículas carregadas de radiação. 

As erupções solares são classificadas em um sistema de letras, com as de classe C relativamente fracas, as de classe M mais moderadas e as de classe X sendo as mais fortes. 

Segundo o astrônomo amador brasileiro Izaac Leite, do Mato Grosso, foi detectada na atividade uma emissão de rádio tipo II com uma velocidade estimada de 1.424 km/s. “Como a AR 2975 ainda está em uma posição decente voltada para a Terra, uma ejeção de massa coronal (CME) provavelmente será direcionada para cá”, disse Leite. 

Nesta imagem em movimento, é possível ver o exato instante em que a mancha solar hiperativa AR2975 explode em uma erupção de classe X. Imagem: SOHO/NASA

De acordo com o site SpaceWeather.com, os resultados disso já começaram a aparecer na Terra, tendo o forte sinalizador gerado um apagão temporário em sinais de rádio de ondas curtas no continente americano. “Aviadores, marinheiros e operadores de rádio podem ter notado efeitos incomuns de propagação em frequências abaixo de 30 MHz”, informou o site algumas horas após o flash. 

Leia mais:

Observatório da Nasa capta erupção solar de nível médioSolar Orbiter registra imagem do Sol de maior resolução da históriaHistórico! Solar Orbiter chega mais perto do que nunca do Sol

Se uma ejeção de massa coronal emerge do sinalizador e é apontada para a Terra, as partículas carregadas de radiação podem causar auroras na atmosfera da Terra. Ainda de acordo com o SpaceWeather, há evidências circunstanciais sugerindo que uma CME está emergindo do Sol, mas mais observações serão necessárias para confirmar isso. 

Ejeções de massa coronal capturadas pelo Observatório Solar e Heliosférico (SOHO), nos dias 28 e 29 de março de 2022. Imagem: SOHO/ESA & NASA

O SpaceWeather revelou que a Força Aérea dos EUA detectou uma explosão de rádio solar tipo II que pode estar associada às ondas de choque de uma CME, conforme dito por Leite. Além disso, o Observatório de Dinâmica Solar (SDO) da Nasa visualizou um tsunami solar aparentemente gerado por uma CME deixando a atmosfera solar. Se atingir o campo magnético da Terra, fortes tempestades geomagnéticas de classe G3 são esperadas para esta quinta-feira (31). “Durante essas tempestades, as auroras a olho nu podem descer nos EUA até o sul, por exemplo, nos estados de Illinois e Oregon (latitude geomagnética de 50 graus)”.

O Sol iniciou seu atual ciclo de atividade solar em 2019, e deve atingir o pico por volta de 2025. Os cientistas ainda não sabem o quão ativo será este ciclo, embora a previsão seja de menos manchas solares do que o normal. 

A atividade solar está sob constante vigilância da Nasa e de outras agências espaciais para melhorar as previsões de clima solar. Na maioria dos casos, as CMEs simplesmente causam auroras à medida que partículas carregadas atingem as linhas magnéticas da Terra. Tempestades mais poderosas, no entanto, podem causar problemas com satélites ou linhas de energia. 

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

O post Mancha solar sofre uma das mais poderosas erupções e provoca apagão em sinais de rádio na Terra apareceu primeiro em Olhar Digital.

Deixe um comentário

Direitos autorais © 2022 AkiBomba. Todos os Direitos Reservados.